BLOG | UNAPEL

Como se preparar para o plantio de milho 2ª safra?

Com o crescimento da produção do milho safrinha no Brasil, empregar o melhor manejo no plantio do milho 2ª safra pode ser um divisor de águas para alcançar um bom potencial produtivo. Mas como aplicar esse manejo para o plantio de milho 2ª safra ser mais produtivo? Venha entender melhor aqui!

 

Em qualquer cultura ou período do ano, o planejamento do plantio é essencial para começar a lavoura da melhor forma possível, entender os cuidados de cada etapa, as atividades, o tempo de execução e todos os detalhes para ter sucesso com o cultivo.

 

Pensando no plantio de milho 2ª safra, que vem aumentando significativamente sua produtividade nos últimos anos e atrai produtores rurais para a produção, se preparar para a safrinha de milho é um passo importante.

 

Afinal, não é surpresa para ninguém que, as práticas adotadas durante o cultivo, especialmente na fase de implementação da lavoura, levam ao sucesso do milho safrinha. Por isso, durante o plantio de milho 2ª safra, dois manejos chamam a atenção: solo e patógenos.

 

Com cuidados específicos, o produtor rural pode garantir o desenvolvimento saudável do cultivo, se atentando para as necessidades da planta e afastando a ocorrência de pragas e doenças prejudiciais para a lavoura. Mas por onde começar?

 

Neste texto, você confere os cuidados no plantio de milho 2ª safra, com destaque para o manejo do solo, controle de pragas e de doenças no cultivo. Além disso, no texto, apresentamos como o emprego de máquinas agrícolas contribui para esses tratos culturais.

 

Plantio de milho 2ª safra: os cuidados essenciais para colher resultados

 

Quando se fala em plantio, independente do tipo de cultura trabalhada, os tratos culturais realizados marcam os resultados da colheita. Por isso, ter atenção aos detalhes pode fazer diferença no final.

 

Em relação ao plantio de milho 2ª safra, dois pontos se destacam para o bom estabelecimento da cultura: o solo e o controle de patógenos.

 

Não é nenhuma surpresa que o solo é a base da atividade agrícola. Se a terra se encontra com baixa fertilidade ou pouca oferta de nutrientes, as plantas não conseguem se estabelecer e desenvolver corretamente. Tudo isso afeta a produtividade e a rentabilidade.

 

O mesmo ocorre com a infestação de doenças e pragas, que podem se espalhar por toda a área plantada se não controladas corretamente e deixam um rastro de prejuízos.

 

Dessa forma, desenvolver uma estratégia de cuidado do solo e controle de fitopatógenos é a melhor forma para se preparar para o plantio de milho 2ª safra, para além de um bom planejamento. Esses cuidados podem começar desde já!

 

Como fica a preparação do solo para o plantio de milho 2ª safra?

 

Uma das combinações de cultura mais comuns é o cultivo de soja seguido do cultivo de milho 2ª safra. Isso ocorre inclusive no Cerrado brasileiro. Essa “dobradinha” permite ao produtor rural aproveitar duas das principais commodities do país.

 

Contudo, para o plantio de milho 2ª safra, o produtor rural deve se atentar ao início da semeadura. Ou seja, quanto mais tarde ele plantar, menos riscos a lavoura correrá em questão da disponibilidade de chuvas e, consequentemente, umidade do solo.

 

Dessa forma, ter atenção à janela de plantio e condições climáticas apropriadas fará uma grande diferença para a produtividade do cultivo.

Uma ferramenta que facilita o entendimento do produtor rural sobre a disposição de chuvas e planejamento da lavoura é o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC). No blog da Unapel, você encontra um artigo que aborda esse conceito e como utilizá-lo na prática!

plantio de milho 2ª safra no Brasil

No plantio de milho 2ª safra, o produtor rural precisa estar atento a janela de plantio para não perder o melhor momento para semear.

 

Após essa atenção inicial com a janela de plantio e disposição de chuvas, o produtor rural precisa se dedicar ao solo. O primeiro passo para uma preparação de solo mais efetiva é fazer uma análise prévia.

 

A partir do resultado dessa análise, o produtor rural pode traçar ações que de fato serão efetivas para suprir as carências do solo da fazenda. Uma das preocupações desse período é a fertilidade do solo. Isso porque sem umidade, a absorção de nutrientes fica comprometida.

 

Assim, alguns dos cuidados com o solo no plantio de milho 2ª safra são:

 

Condicionamento do perfil do solo

 

O condicionamento do perfil do solo é um conjunto de técnicas para fornecer cálcio ao terreno. Esse procedimento pode melhorar a acidez do solo e disponibilizar nutrientes essenciais da planta, estimulando o crescimento radicular em profundidade.

 

Manutenção da palhada no solo

 

A densidade da cobertura vegetal, com a manutenção da palhada no solo, é também uma técnica que aumenta a disponibilidade de nutrientes e auxilia no melhor aproveitamento da água das chuvas no solo.

 

Fornecimento de nutrientes durante o plantio

 

O desenvolvimento saudável do milho safrinha também depende do fornecimento de nutrientes, como você já viu por aqui. Por isso, nos primeiros 30 dias após a germinação, é importante disponibilizar recursos para as plantas.

 

Trabalhando a fertilização no cultivo

 

Ao fazer a aplicação de fertilizantes é muito importante entender o crédito de nutrientes presentes no solo. Essa investigação prévia auxilia no diagnóstico da necessidade de fazer a adubação de manutenção no plantio de milho 2ª safra.

 

Invista em um sistema de preparo do solo ideal

 

Na atividade agrícola, os sistemas de preparo do solo são: convencional, cultivo mínimo e plantio direto. Cada sistema possui sua finalidade e particularidades. Assim, é preciso conhecê-las para investir em um preparo que se adeque às necessidades do plantio de milho 2ª safra.

 

Além do preparo do solo, a escolha do híbrido, o objetivo de plantio e o clima são outros fatores fundamentais para o bom estabelecimento do cultivo. Outro ponto importante está no manejo de fitopatógenos, que você verá no próximo tópico!

 

Como cuidar do plantio de milho 2ª safra?

 

O clima e as práticas de cultivos são alguns dos fatores que podem propiciar o surgimento de pragas, doenças e insetos no milho safrinha. Essas ocorrências, por sua vez, afetam o potencial produtivo da planta, principalmente quando atingem seu sistema foliar.

 

Isso ocorre, pois na área foliar ocorre a fotossíntese e todos os processos associados a ela, como o metabolismo da planta e a geração de biomassa. Doenças como mancha-branca, ferrugem-polissora, cercosporiose e podridão-do-colmo, que são características da cultura do milho, precisam de um maior cuidado.

 

Essas doenças podem afetar as plantas pelo solo ou pelos restos culturais e reincidir em outras safras, principalmente pelo ambiente propício. Dessa forma, é fundamental garantir a saúde do milho.

 

Como evitar o surgimento de doenças no cultivo?

 

Algumas das práticas que podem contribuir nesse controle são:

  • Rotação de culturas: trabalhar com culturas diversas no cultivo, além de reduzir o desgaste do solo e aumentar sua propriedade nutritiva, é também uma técnica para evitar que pragas e doenças se instalem na plantação e utilizem nutrientes provenientes de um determinado cultivo;


  • Seleção de cultivares resistentes: a seleção de bons cultivares também é um incremento importante para as lavouras. Sementes de qualidade, além de terem um bom potencial produtivo, ainda têm maior segurança sanitária para o produtor rural, já que são devidamente registradas no Mapa;


  • Tratamento de sementes: complementando a seleção de cultivares resistentes, o tratamento de sementes é uma técnica que consiste na aplicação de defensivos agrícolas, um processo industrial e especializado;


  • Aplicação de defensivos no campo: o uso de defensivos agrícolas é uma prática antiga e eficaz, que avançou muito devido aos estudos e investimentos que possibilitaram uma ampla gama de produtos. Com bons resultados, a aplicação de defensivos precisa ser planejada para alcançar um bom rendimento.

Para ter um bom resultado com a aplicação de defensivos, o produtor rural precisa investir também na aplicação, principalmente no maquinário certo e em sua regulagem. Com atenção na aplicação, o produtor consegue atingir melhor o alvo, evitar desperdício de insumo e otimizar a operação.

 

Na Unapel, marca parceria New Holland, temos um portfólio com pulverizadores desenvolvidos para diferentes desafios, que conseguem ser mais precisos e econômicos, tendo um ótimo rendimento operacional.

emprego de pulverizadores no plantio de milho 2ª safra

O emprego de pulverizadores no plantio de milho 2ª safra consegue trazer mais precisão para o controle de patógenos no campo.

Cuidado que resulta em produtividade

 

No plantio de milho 2ª safra, o produtor rural precisa ter processos bem definidos para conseguir ter uma lavoura mais produtiva e isso envolve o cuidado com o solo e o manejo de pragas, doenças e demais patógenos no campo.

 

Por isso, é preciso se preparar desde já para não enfrentar dificuldades no caminho e já começar a definir tudo que precisará ser executado no plantio de milho 2ª safra.

 

Para entender melhor sobre a performance do pulverizador e como aperfeiçoar a aplicação de agroquímicos na fazenda, venha conferir nosso texto sobre tecnologia de aplicação de defensivos!

 

FONTES:

Agro Bayer – https://www.agro.bayer.com.br/

Climate Fieldview – https://blog.climatefieldview.com.br/

Syngenta – https://portal.syngenta.com.br/

Embrapa – https://www.embrapa.br/

Mais Artigos

Custos de produção agrícola: quais os desafios no campo?

Na atualidade, um dos principais desafios para os produtores rurais é saber controlar os custos de produção agrícola, principalmente frente ao aumento dos preços dos insumos e a comercialização dos produtos. Realizar um controle assertivo

O que esperar da safra de grãos 2023/2024?

A medida que os produtores rurais avançam na colheita de grãos, seja se planejando para essa etapa ou dando início a operação, o mercado começa a colher as primeiras projeções e expectativas para a safra

Colheita de soja: como reduzir as perdas no processo?

A forma como as atividades agrícolas são desempenhadas afeta diretamente o rendimento da lavoura. Por isso, administrar as perdas no processo e ter uma operação mais eficiente com o emprego da colheitadeira na colheita de

Cadastre para receber nossos conteúdos

CONTATO

Rua Arlindo Gomes Branquinho, 1399
+55 38 9961-4980
contato@unapel.com.br

ST Q.1 – T. L 1.5 – Jardim Panorâmico Setor Ind. II
+55 61 9619-1130
contato@unapel.com.br

Avenida Dr. Lamartine Pinto Avelar, 1776
Loteamento Vila Chaud
+55 64 9918-8897
contato@unapel.com.br

Rua Paulo Rogerio da Silva, 521
Setor Norte
+55 61 9902-1032
contato@unapel.com.br

Olá, Como posso te ajudar?